Calendário

Novembro 2017
D S
1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30

Editais

Galeria de Fotos

BIR 7779

Vídeos

vainer

FOTO 1. InCORPO por Julius Mack 24
A Companhia de Dança Contemporânea da UFRJ – NUDAFRO, do Núcleo de Pesquisa em Dança e Cultura Afro-brasileira, vai apresentar um programa duplo de dança, composto pelo espetáculo InCORPO e pela performance solo Fé no Corpo, nos dias 7, 8 e 9 de julho, no Centro Coreográfico do Rio de Janeiro. As criações são alimentadas por memórias pessoais e coletivas dos intérpretes.

InCORPO trabalha memórias da infância; experiências conflituosas que declaram a presença de discriminação, da falta de respeito e da relação de poder entre gêneros; do orgulho de falar o seu próprio nome e de exaltar através da oralidade o nome de personalidades femininas da história. InCORPO questiona na cena: “Quando você olha, o que você vê?”

O foco da composição do espetáculo está na integração entre movimento corporal, intervenções sonoras e o acordamento de memórias pessoais e coletivas durante o processo cênico. Esses elementos podem ser catalisadores para o intérprete trazer à tona um vocabulário novo de movimentos e gestos repletos de imagens, sentimentos, histórias e comportamentos. O intérprete-pesquisador materializa uma identidade singular por meio de ações e reações, fluxos de movimentos, imagens, palavras e estados do corpo para desenvolver uma dramaturgia corporal.


FOTO 2. InCorpos

A proposta é mergulhar na memória de cada intérprete dentro do processo de composição, partindo para uma investigação profunda de como cada corpo pode acessar suas energias. E, quando acessadas, o lugar do corpo físico e seus estados de presença são alcançados. Percebemos que a fisicalidade de cada corpo não vem apenas do movimento, mas de uma memória que é acionada por uma pesquisa sobre os gestos, os gostos, as sonoridades e as vivências. E vem também de um movimento que não se encontra anterior ao fazer. A memória se encontra em movimento.

Os estímulos para criação são as leituras de textos, debates sobre fatos atuais, laboratórios cênicos, que estimulam e visam continuamente à reflexão de cada intérprete-pesquisador sobre a sociedade em que está inserida sua condição e opção. São as memórias da infância abastada ou pobre, das questões de sexualidade e gênero, dos ritos culturais e religiosos, do ativismo, da sociabilidade e da política. Os estímulos utilizados em laboratórios potencializam o modo de cada um conhecer a si mesmo e o outro, assim como de transmitir conhecimentos e identidades por meio da encenação. 

FOTO 3. Fe no Corpo. Foto Julius Mack

A performance Fé no Corpo revela memórias rituais da intérprete nos entremeios de movimentos, gestos e expressões. O corpo em fé é uma recordação no corpo, um ato que é tradicional e singular ao mesmo tempo. O corpo é apresentado como um arquivo que condensa um saber pelos movimentos verbais e não-verbais, com a finalidade de transmitir e conservar a memória de um grupo.

A pesquisa estética gestual dessa performance se ancora na riqueza das práticas performativas afro-brasileiras. A encenação oferece ao espectador, de maneira variada e poética, uma visita ao corpo em fé, que organiza práticas rituais nas representações cotidianas, que se expressam através da linguagem dos gestos. O corpo em fé nas tradições afro-brasileiras se apresenta como um arquivo que condensa um saber pelos movimentos verbais e não-verbais com a finalidade de transmitir e conservar a memória de um grupo. 

NUDAFRO é um centro de produção artística interdisciplinar que tem como objetivo pesquisar, elaborar trabalhos cênicos, dinamizar oficinas de dança e disseminar os conhecimentos artísticos, pedagógicos da área de dança produzidos na UFRJ para as diferentes camadas da população por meio da apresentação de espetáculos coreográficos, performances e intervenções. Suas ações estimulam a reflexão acerca da arte e de seus processos criativos numa escuta permanente com os anseios dos diversos grupos sociais e questões contemporâneas.

A duração total do espetáculo é 65 minutos. A classificação indicativa é a partir de 12 anos. As apresentações acontecem nos dias 7 (sexta) e 8 (sábado) de julho, às 20h; e 9 (domingo) de julho, às 18h.

O Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro fica na rua José Higino, 115, Tijuca. Ingressos: 20,00 (inteira) e 10,00 (meia)

Confira a ficha Técnica das apresentações  e outras informações.
 

* Este projeto é apoiado pelo Programa de Apoio às Artes (PROART), coordenado pelo Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ.

 

Clécia Oliveira

UFRJ Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ